PROJETO HUCK  – FRAUDE ENTRE O PPS E O CAPITALISTA

PROJETO HUCK  – FRAUDE ENTRE O PPS E O CAPITALISTA

Amigos e amigas de Floripa

Luciano Grostein Huck  é um jovem bem sucedido, a partir do seu esforço pessoal na TV conseguiu projeção em todo o Brasil, seu programa “Caldeirão do Huck” é líder de TV desde o ano 2000, atraiu muito interesse comercial, dinheiro. Hoje é um homem rico, casado, 3 filhos, cuja mulher Angélica, também apresentadora, formam um casal excepcional do entretenimento nacional.

Nasceu deste “casamento perfeito” a idealização de que um homem com todos estes predicados, seguramente, seria também, um bom Presidente da República. Como esta nos plenos direitos de cidadão brasileiro suas pretensões podem ser atendidas desde que inscrito num partido político.

E qual a primeira opção para um candidato do livre mercado, supostamente liberal, defensor da propriedade privada? Ora, ora, um partido de origem liberal.

Leio nas folhas que namora com o PPS – Partido Popular Socialista. Como todos sabem os socialistas vão à exaustão no que concerne a nomear a democracia como pilar partidário,  mas a práxis é bem diferente (vejam a Venezuela, Cuba).  O PPS é o  sucessor do Partido Comunista Brasileiro – PCB, fundado em 1922, resgatando a melhor tradição do pensamento marxista tendo como  objetivo permanente  a construção de uma sociedade socialista.

A primeira recomendação é que HUCK faça uma leitura dos porquês da revolução francesa e da revolução russa. Um político moderno precisa saber destas diferenças entre o socialismo e o liberalismo. A revolução francesa fez-se com vistas à libertação da população do absolutismo real, do direito à vida, dos direitos individuais e coletivos, do direito à propriedade, do livre mercado.

Já a revolução russa, 128 anos depois, foi o primeiro laboratório das ideias de Karl Marx cujos postulados básicos são o fim da propriedade privada, cabendo ao Estado o provimento dos bens e serviços à população.   Os resultados todos conhecem, em nome desta teoria foram presos, exilados, assassinados, deportados para campos de concentração, mais de 100 milhões de pessoas.

Partidos que tem nestes princípios a sua existência são devedores de explicações mais claras à população, dizer os objetivos finais, não fraudar os eleitores com promessas de respeito à democracia e à propriedade, cujos princípios e valores,  são negados nos estatutos.

Portanto temos a boa revolução e a péssima revolução. Esta continua presente no Brasil com partidos como o PPS.  Huck escolheu o pior lado para ajudar a melhorar o Brasil. As chances são zero. Os socialistas desde o começo do século 20 só fizeram piorar o Brasil. Atrapalharam o que puderam até chegar ao Poder com Lula em 2002. Havia um Projeto de Poder, de dominação, de controle da mídia, mas, felizmente, por ora foi refreado.

Enquanto navegaram na “inércia de FHC” deu certo, mas havia prazo determinado para isso. Foi quando quebraram o Brasil. Foram afastados do Governo com 14 milhões de desempregados, inflação de 15%, SELIC de 14%, e abusos e desequilíbrios nos orçamentos. Das reformas nem um pio. Deu no que deu.

Luciano Huck deveria avaliar melhor suas opções.


Dilvo Tirloni

Sou Administrador concluí meus estudos de ensino fundamental na cidade de Nova Trento. Os estudos de ensino Médio foram concluídos na cidade de Brusque, no Colégio São Luiz e Consul Carlos Renaux. Sou bacharel em  História pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). Simultaneamente, cursei Administração na Escola Superior de Administração e Gerência (ESAG). Nesta escola fui contemplado com medalha pelos méritos acadêmicos vindo, então, a ser convidado para cursar o Pós Graduação, nível de mestrado, na Fundação Getulio Vargas, em São Paulo. Concluído o curso de pós-graduação ingressei como professor titular na UDESC/ESAG atuando na área de Administração Financeira e Mercado de Capitais.

Profissional

Professor primário, secundário e universitário. Técnico em Desenvolvimento Econômico do Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE), especialista em projetos de financiamentos e investimentos, executivo fundador do antigo CEAG/SC, hoje, SEBRAE, Consultor de atividades  empresariais. Presidente da Associação Comercial e Industrial de Florianópolis – ACIF entre 13/05/2005 a 13/05/2009 (4 anos com reeleição) e presidente do Conselheiro do Conselho Superior 2009/2011. Conselheiro do Sapiens Park, Conselheiro do Conselho Municipal do Meio Ambiente, Conselheiro do Conselho Municipal do Saneamento Básico.

Pensamento Político

A história nos ensinou que o melhor caminho para as sociedades é o Liberalismo (Locke) representado por um  conjunto de princípios  baseados na defesa da propriedade privada, liberdade econômica (mercado livre),  liberdade política (vários partidos), liberdade religiosa, mínima participação do Estado na economia mas forte na aplicação da lei, igualdade dos cidadãos perante a lei, livre manifestação do pensamento e expressão.

Publicações

Inúmeros artigos publicados nos jornais de Florianópolis. Coordenou e escreveu os seguintes livros: Prefeitura Municipal de Florianópolis 2004; Novo Modelo Institucional Água e Saneamento, 2006, SC2010, projeto sobre Governo Estadual, 2007; Reforma Tributária Nacional 2008; PMF2012 Reforma Administrativa da Prefeitura Municipal de Florianópolis. Bacias Hidrográficas de Florianópolis, 2008.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *