O MOTOR DA ECONOMIA É O EMPRESÁRIO NÃO O FUNCIONÁRIO

O MOTOR DA ECONOMIA É O EMPRESÁRIO NÃO O FUNCIONÁRIO

Amigos e amigas de Floripa

Porque o Brasil não dá certo? Há várias respostas para pergunta tão ampla mas vale ressaltar que o motor da economia é o empresário, não o funcionário.

O Brasil só alcançará o seu próspero destino se deixar de ser “socialista”. Parece incrível, mas o Brasil é preponderantemente, socialista. Mais da metade de seu PIB é formado por Empresas sob controle do Governo. Todo o complexo PETROBRÁS e suas afiliadas, a ELETROBRÁS e suas afiliadas, BANCO DO BRASIL, CEF, INFRAERO, e mais de 100 outras empresas no plano federal são gerenciadas por políticos apadrinhados, muitos corruptos, como revelou o mensalão e o petrolão.

Mas o calvário não acaba ai. Nos 27 estados da federação há centenas de empresas públicas, como aqui em Santa Catarina, a CASAN, o PORTO DE SÃO FRANCISCO, CELESC, CEASA, SANTUR, SCGAS, entre outras. No município também acontece o mesmo, o que faz uma COMCAP, IGEOF na mão da Prefeitura?

Não bastassem estes absurdos econômicos há os absurdos administrativos, milhares de órgãos inúteis, secretarias superpostas, milhares de “aspones” tudo isso subtraindo recursos que poderiam ser destinados às creches, às escolas, à saúde. Não pode dar certo.

O drama da economia não parai. Quando se vai examinar as leis via de regra são restritivas, parecem odiar os investidores. São leis mal formuladas como esse PDF (Plano Diretor Franskstein) que trata de tudo um pouco, inclusive de zoneamento e ocupação, mas sempre pelo lado proibitivo. Não se pode contruir dois ou mais andares pelo interior da Ilha sob o pretexto de aumentar os passivos ambientais e parar o trânsito.

A cidade precisa de 10 mil novos empregos por ano e ninguém se atenta para isso, depois reclamam que a criminalidade aumentou. São falsários da realidade, não entendem de economia, do processo social, são malandros, vigaristas do nosso futuro.


Dilvo Tirloni

Sou Administrador concluí meus estudos de ensino fundamental na cidade de Nova Trento. Os estudos de ensino Médio foram concluídos na cidade de Brusque, no Colégio São Luiz e Consul Carlos Renaux. Sou bacharel em  História pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). Simultaneamente, cursei Administração na Escola Superior de Administração e Gerência (ESAG). Nesta escola fui contemplado com medalha pelos méritos acadêmicos vindo, então, a ser convidado para cursar o Pós Graduação, nível de mestrado, na Fundação Getulio Vargas, em São Paulo. Concluído o curso de pós-graduação ingressei como professor titular na UDESC/ESAG atuando na área de Administração Financeira e Mercado de Capitais.

Profissional

Professor primário, secundário e universitário. Técnico em Desenvolvimento Econômico do Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE), especialista em projetos de financiamentos e investimentos, executivo fundador do antigo CEAG/SC, hoje, SEBRAE, Consultor de atividades  empresariais. Presidente da Associação Comercial e Industrial de Florianópolis – ACIF entre 13/05/2005 a 13/05/2009 (4 anos com reeleição) e presidente do Conselheiro do Conselho Superior 2009/2011. Conselheiro do Sapiens Park, Conselheiro do Conselho Municipal do Meio Ambiente, Conselheiro do Conselho Municipal do Saneamento Básico.

Pensamento Político

A história nos ensinou que o melhor caminho para as sociedades é o Liberalismo (Locke) representado por um  conjunto de princípios  baseados na defesa da propriedade privada, liberdade econômica (mercado livre),  liberdade política (vários partidos), liberdade religiosa, mínima participação do Estado na economia mas forte na aplicação da lei, igualdade dos cidadãos perante a lei, livre manifestação do pensamento e expressão.

Publicações

Inúmeros artigos publicados nos jornais de Florianópolis. Coordenou e escreveu os seguintes livros: Prefeitura Municipal de Florianópolis 2004; Novo Modelo Institucional Água e Saneamento, 2006, SC2010, projeto sobre Governo Estadual, 2007; Reforma Tributária Nacional 2008; PMF2012 Reforma Administrativa da Prefeitura Municipal de Florianópolis. Bacias Hidrográficas de Florianópolis, 2008.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *