LEONARDO BOFF CADA VEZ MAIS VELHO (TAMBÉM) NAS IDEIAS

LEONARDO BOFF CADA VEZ MAIS VELHO (TAMBÉM) NAS IDEIAS

Amigos e Amigas de Floripa

Ajudou o PT a criar 14 milhões de desempregados, triplicar a divida ativa, colocar a inflação nas nuvens e sobretudo, não condenar a roubalheira institutucionalizada
Ajudou o PT a criar 14 milhões de desempregados, triplicar a divida ativa, colocar a inflação nas nuvens e sobretudo, ser condescendente com a roubalheira institucionalizada.

Em entrevista ao DC (10/12/2017) Leonardo Boff (78) o padre catarinense que foi condenado ao silêncio pela Igreja Católica, continua sua sina de criticar o “sistema” pelo lado equivocado. Desceu a ripa no “neoliberalismo” e acha que o PT, tem jeito.

Não resistindo ao sofrimento imposto pela Igreja, abandonou a batina e perambula pelo mundo pregando a sua “teologia da libertação” uma doutrina que recepciona ensinamentos cristãos com postulados socialistas. Onde inseriram o modelo só serviu para desestabilizar a economia, a política, criar conflitos sociais, como fizeram no Brasil.

Nos 14 anos de PT e mesmo antes, os “comunistas de batina” como eram (e são) conhecidos fizeram muito sucesso. Conseguiram muitos adeptos, e onde havia um acampamento do MST lá estava um missionário para ensinar a boa nova – abraçar uma nova sociedade combatendo os males do capitalismo opressor. Suspeita-se que ajudaram a construir a cartilha do movimento que no limite, prega a tomada do poder pela força. Posteriormente criaram o “Departamento Urbano” chamado de MTST, ambos, continuam ativos invadindo propriedades e criando toda a sorte de problemas para as autoridades.

Estes movimentos sociais – vistos por muitos como um direito de reivindicação – não passam de espertalhões comandados por lideres socialistas que se nutrem da Teoria da Libertação criada por BOFF e outros intelectuais católicos para, sem trabalhar, obrigar o governo a dar-lhes um pedaço de terra preferencialmente, com casa, financiamentos à fundo perdido e bolsas famílias em profusão.

Boff talvez pela idade cristalizou a ideia de que o neoliberalismo (capitalismo) é o mal a ser extirpado sem o qual os recursos naturais vão se exaurir, as populações pobres vão morrer de fome, a educação e a segurança estão irremediavelmente, comprometidas.

Mas é contraditório. Quando indagado sobre SC (nasceu em Concórdia) reconhece que é um Estado que deu certo rigorosamente, porque praticamos o “neoliberalismo” um termo inventado por um socialista e que não quer dizer nada – não existe neocatolicismo, neocomunismo, neoamericanismo. Existe o velho e bom liberalismo um conjunto de postulados que defende a vida, os direitos individuais, coletivos, a propriedade privada.

Boff infelizmente continua velho também nas ideias.


Dilvo Tirloni

Sou Administrador concluí meus estudos de ensino fundamental na cidade de Nova Trento. Os estudos de ensino Médio foram concluídos na cidade de Brusque, no Colégio São Luiz e Consul Carlos Renaux. Sou bacharel em  História pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). Simultaneamente, cursei Administração na Escola Superior de Administração e Gerência (ESAG). Nesta escola fui contemplado com medalha pelos méritos acadêmicos vindo, então, a ser convidado para cursar o Pós Graduação, nível de mestrado, na Fundação Getulio Vargas, em São Paulo. Concluído o curso de pós-graduação ingressei como professor titular na UDESC/ESAG atuando na área de Administração Financeira e Mercado de Capitais.

Profissional

Professor primário, secundário e universitário. Técnico em Desenvolvimento Econômico do Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE), especialista em projetos de financiamentos e investimentos, executivo fundador do antigo CEAG/SC, hoje, SEBRAE, Consultor de atividades  empresariais. Presidente da Associação Comercial e Industrial de Florianópolis – ACIF entre 13/05/2005 a 13/05/2009 (4 anos com reeleição) e presidente do Conselheiro do Conselho Superior 2009/2011. Conselheiro do Sapiens Park, Conselheiro do Conselho Municipal do Meio Ambiente, Conselheiro do Conselho Municipal do Saneamento Básico.

Pensamento Político

A história nos ensinou que o melhor caminho para as sociedades é o Liberalismo (Locke) representado por um  conjunto de princípios  baseados na defesa da propriedade privada, liberdade econômica (mercado livre),  liberdade política (vários partidos), liberdade religiosa, mínima participação do Estado na economia mas forte na aplicação da lei, igualdade dos cidadãos perante a lei, livre manifestação do pensamento e expressão.

Publicações

Inúmeros artigos publicados nos jornais de Florianópolis. Coordenou e escreveu os seguintes livros: Prefeitura Municipal de Florianópolis 2004; Novo Modelo Institucional Água e Saneamento, 2006, SC2010, projeto sobre Governo Estadual, 2007; Reforma Tributária Nacional 2008; PMF2012 Reforma Administrativa da Prefeitura Municipal de Florianópolis. Bacias Hidrográficas de Florianópolis, 2008.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *