DOUTRINA SOCIALISTA/COMUNISTA FORMA DE DIRIGIR O BRASIL

DOUTRINA SOCIALISTA/COMUNISTA FORMA DE DIRIGIR O BRASIL

Amigos e amigas de Floripa

Venho insistindo que o desconhecimento sobre a Gestão Pública guarda dimensões de burrice extrema. Ora é por pura ignorância dos governantes que não tem o preparo suficiente no uso das técnicas gerencias, ora pelo oportunismo político de recepcionar acólitos que o ajudaram a se eleger, e ora pela ideologia socialista que acredita que o Estado existe para “dar empregos”. Vale ressaltar que a ignorância é democrática ela tanto aparece em governos ditos liberais como comunistas.

A confusão é tanta que dos 5578 municípios existentes no Brasil, pode-se afirmar, com razoável nível de acerto que “todos os municípios são socialistas na gestão”. O que é pior, a União e os 27 Estados brasileiros também são “socialistas comunistas” na forma como conduzem o Estado Brasileiro.

Resultam destes equívocos uma dívida pública federal de 4,55 trilhões de reais, 12 milhões de desempregados, INSS quebrado, infraestrutura em pandarecos, Educação, Saúde e Segurança, pedindo “água”.

O Brasil precisa se decidir pelo “liberalismo” na forma de Governar. E o que é isso? Vamos tomar Floripa, supostamente, um governo liberal, como exemplo. Por aqui temos uma COMCAP que é um sorvedouro de recursos públicos, só possíveis dentro de uma filosofia socialista de governo. Gasta o que não tem para manter uma estrutura obsoleta, cara e inviável. São 250 milhões por ano.

Tomemos outro órgão o IGEOF – Instituto de Geração de Oportunidades de Florianópolis. Trata-se de mais uma excentricidade, burocratas não foram talhados para abrir empregos. Pelo que se sabe toda a estrutura contribui para a FESTA DA FENAOSTRA e nada mais. Num governo com espírito liberal o órgão seria fechado e seus recursos encaminhados para creches e salas de aula.

Há muito mais. A Fundação Franklin Cascaes tem 40 anos de atividades dedicadas à cultura da cidade. De repente apareceu uma Secretaria da Cultura inexistente até 4 anos atrás. São milhões consumidos para operar ações superpostas. Malandramente, é mais um órgão socialista a serviço do inútil, mas custa muito dinheiro à cidade.

Dom Pedro II o melhor Presidente do Brasil governou por longos 49 anos (1840 até 1889) proferiu no Conselho de Ministros uma frase famosa – “gastos inúteis são também uma forma de roubar o Brasil”.

O Brasil precisa avançar adotar critérios rígidos de gestão fiscal, administrativa e financeira que afastem a desordem de nossas estruturas orgânicas, a desorganização, o abuso com o dinheiro público. Precisamos afastar o modelo socialista de dirigir o Estado.

Infelizmente, o artigo 37 da Constituição é pouco aplicado.

 

 


Dilvo Tirloni

Sou Administrador concluí meus estudos de ensino fundamental na cidade de Nova Trento. Os estudos de ensino Médio foram concluídos na cidade de Brusque, no Colégio São Luiz e Consul Carlos Renaux. Sou bacharel em  História pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). Simultaneamente, cursei Administração na Escola Superior de Administração e Gerência (ESAG). Nesta escola fui contemplado com medalha pelos méritos acadêmicos vindo, então, a ser convidado para cursar o Pós Graduação, nível de mestrado, na Fundação Getulio Vargas, em São Paulo. Concluído o curso de pós-graduação ingressei como professor titular na UDESC/ESAG atuando na área de Administração Financeira e Mercado de Capitais.

Profissional

Professor primário, secundário e universitário. Técnico em Desenvolvimento Econômico do Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE), especialista em projetos de financiamentos e investimentos, executivo fundador do antigo CEAG/SC, hoje, SEBRAE, Consultor de atividades  empresariais. Presidente da Associação Comercial e Industrial de Florianópolis – ACIF entre 13/05/2005 a 13/05/2009 (4 anos com reeleição) e presidente do Conselheiro do Conselho Superior 2009/2011. Conselheiro do Sapiens Park, Conselheiro do Conselho Municipal do Meio Ambiente, Conselheiro do Conselho Municipal do Saneamento Básico.

Pensamento Político

A história nos ensinou que o melhor caminho para as sociedades é o Liberalismo (Locke) representado por um  conjunto de princípios  baseados na defesa da propriedade privada, liberdade econômica (mercado livre),  liberdade política (vários partidos), liberdade religiosa, mínima participação do Estado na economia mas forte na aplicação da lei, igualdade dos cidadãos perante a lei, livre manifestação do pensamento e expressão.

Publicações

Inúmeros artigos publicados nos jornais de Florianópolis. Coordenou e escreveu os seguintes livros: Prefeitura Municipal de Florianópolis 2004; Novo Modelo Institucional Água e Saneamento, 2006, SC2010, projeto sobre Governo Estadual, 2007; Reforma Tributária Nacional 2008; PMF2012 Reforma Administrativa da Prefeitura Municipal de Florianópolis. Bacias Hidrográficas de Florianópolis, 2008.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *