DEBATENDO BOBBIO

DEBATENDO BOBBIO

Amigos e amigas de Floripa

Norberto Bobbio (1909-2004) foi historiador,  escritor e senador vitalício italiano. Escreveu vários artigos e livros sobre política. Sempre foi muito respeitado quer porque fosse contrário ao facismo/nazismo e nas correntes do socialismo,  porque oferecia aos adeptos desta doutrina uma espécie de bálsamo para sarar as feridas profundas cometidas por seus fundadores agrupados em torno do marxismo-leninismo tendência majoritária do movimento comunista. Oferecia a eles expressões como “socialismo liberal” ou “socialismo democrático”.

Em nome da doutrina a “seita” assassinou, prendeu ou mandou para os gulags mais de 60 milhões de pessoas na Russia, na China, Mao foi ainda mais cruel, 70 milhões, Pol Pot no Camboja, entre 1,5 a 3 milhões, Fidel em Cuba mais de 20 mil assassinados. Via de regra quando os socialistas tomavam (ou tomam) o poder seguia-se uma agenda de crimes que começavam pela queima dos livros “capitalistas”, prisões e assassinatos em massa da elite dominante, transferência planejada de cidadãos urbanos para atividades agrícolas, fim de qualquer religião. O Pais virava um caos, sentia-se o cheiro de sangue no ar.

Os atuais socialistas querem esconder este quadro dantesco de mortes, mas impossível, ninguém muda a história.

Mas o movimento marxista-leninista nunca parou. Mesmo com tais barbaridades há grupos espalhados em pelo menos 190 países (a Internacional Socialista indica este número) com os mesmo objetivos – implantar um Estado Socialista. Sucede que o socialismo trás no seu próprio bojo o veneno que contamina o modelo – ele fere de morte três postulados básicos das modernas sociedade: direito à vida, à liberdade e à propriedade. Por ser uma doutrina ditatorial o Estado se encarrega de por fim a seus opositores, cancela o direito de expressão e pensamento, destrói o mercado livre e junto vão para o espaço os contratos e as propriedades, que viram um “direito coletivo”.

Bobbio como intelectual italiano, inteligente,  vivendo dentro de uma economia de mercado se impôs perante seus alunos e sociedade (como no Brasil escritores e artistas só fazem sucesso se forem “aprovados” pela confraria dos intelectuais marxistas) defendendo o liberalismo, o estado democrático mas criou expressões como “democracia socialista liberal” que fere os princípios da doutrina liberal. Impossível ser  “socialista democrático e liberal”.

Bobbio na verdade quer o melhor do socialismo e o melhor do liberalismo e isto é impossível, pelo menos dentro dos postulados marxistas. E vale ressaltar que o melhor destes dois mundos podem ser alcançados pelo liberalismo. Esta doutrina reinante na maioria dos países democráticos tem alcançado estes objetivos. Os velhos socialistas da Russia devem estar se perguntando porque tanto sofrimento durante mais de 70 anos para retornar ideologicamente,  ao tempo dos czares?

Se a história não pode ser mudada que nos sirva pelo menos de espelho do que não devemos fazer.


Dilvo Tirloni

Sou Administrador concluí meus estudos de ensino fundamental na cidade de Nova Trento. Os estudos de ensino Médio foram concluídos na cidade de Brusque, no Colégio São Luiz e Consul Carlos Renaux. Sou bacharel em  História pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). Simultaneamente, cursei Administração na Escola Superior de Administração e Gerência (ESAG). Nesta escola fui contemplado com medalha pelos méritos acadêmicos vindo, então, a ser convidado para cursar o Pós Graduação, nível de mestrado, na Fundação Getulio Vargas, em São Paulo. Concluído o curso de pós-graduação ingressei como professor titular na UDESC/ESAG atuando na área de Administração Financeira e Mercado de Capitais.

Profissional

Professor primário, secundário e universitário. Técnico em Desenvolvimento Econômico do Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE), especialista em projetos de financiamentos e investimentos, executivo fundador do antigo CEAG/SC, hoje, SEBRAE, Consultor de atividades  empresariais. Presidente da Associação Comercial e Industrial de Florianópolis – ACIF entre 13/05/2005 a 13/05/2009 (4 anos com reeleição) e presidente do Conselheiro do Conselho Superior 2009/2011. Conselheiro do Sapiens Park, Conselheiro do Conselho Municipal do Meio Ambiente, Conselheiro do Conselho Municipal do Saneamento Básico.

Pensamento Político

A história nos ensinou que o melhor caminho para as sociedades é o Liberalismo (Locke) representado por um  conjunto de princípios  baseados na defesa da propriedade privada, liberdade econômica (mercado livre),  liberdade política (vários partidos), liberdade religiosa, mínima participação do Estado na economia mas forte na aplicação da lei, igualdade dos cidadãos perante a lei, livre manifestação do pensamento e expressão.

Publicações

Inúmeros artigos publicados nos jornais de Florianópolis. Coordenou e escreveu os seguintes livros: Prefeitura Municipal de Florianópolis 2004; Novo Modelo Institucional Água e Saneamento, 2006, SC2010, projeto sobre Governo Estadual, 2007; Reforma Tributária Nacional 2008; PMF2012 Reforma Administrativa da Prefeitura Municipal de Florianópolis. Bacias Hidrográficas de Florianópolis, 2008.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *