CARTA A JOAQUIM BARBOSA –  O SEQUESTRADOR DE ESPERANÇAS