BUROCRACIA TÓXICA

BUROCRACIA TÓXICA

Amigos e amigas de Floripa

A União, os Estados e os Municípios andam inchados, balofos, intumescidos. O Estado brasileiro já não existe para atender aos interesses da população e sim para atender os feudos patrimonialistas que se incrustaram nos três poderes.

Para qualquer ente federado que se olhe, encontra-se uma miríade de órgãos inúteis e dentro deles setores caprichosamente, construídos para atender os acólitos de plantão. Não há respeito ao dinheiro público. A população em vez de se rebelar, constritamente, recepciona estes disparates como verdadeiros. Ninguém se atreve a desafiar o gestor publico de plantão. Parece que ser audaz, ter o topete de mencionar os desvios “legais” constrói para o seu autor a pecha de pessoa amarga, indignada, revoltada.

Quem deveria ter maior interesse em denunciar a máquina inchada dos Governos – o Ministério Público – ele mesmo é vitima de seus próprios equívocos.

Temos uma enorme capacidade de nos indignar com o “mensalão” com o “Petrolão” e tantas outras operações levadas a efeito pela PF e núcleos conscientes do MP e da Justiça. Mas há centenas de milhares de “mensalões” e petrolões, sendo realizados à luz do dia, diariamente, de forma legal. Quando uma Prefeitura, um Estado, a União, órgãos da Justiça criam cargos desnecessários, portanto inúteis, sem interesse direto na prestação de um serviço público, estamos diante de um abuso, de um esbulho de recursos públicos que deve ser energicamente, rechaçado.

Há ainda um efeito periférico, a paralização de centenas de obras paralizadas Brasil afora pela inoperância dos órgãos públicos. Esta semana tomamos conhecimento que há problemas com acessos para no novo Floripa Airport porque o SPU/ICMbio não deferiram as licenças ambientais.

Esta forma de fraudar as leis usurpando os direitos da população é insuportável para os democratas de linha liberal cuja solução só virá através de Governos duros e inflexíveis com os chefões dos baronatos públicos.

 


Dilvo Tirloni

Sou Administrador concluí meus estudos de ensino fundamental na cidade de Nova Trento. Os estudos de ensino Médio foram concluídos na cidade de Brusque, no Colégio São Luiz e Consul Carlos Renaux. Sou bacharel em  História pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). Simultaneamente, cursei Administração na Escola Superior de Administração e Gerência (ESAG). Nesta escola fui contemplado com medalha pelos méritos acadêmicos vindo, então, a ser convidado para cursar o Pós Graduação, nível de mestrado, na Fundação Getulio Vargas, em São Paulo. Concluído o curso de pós-graduação ingressei como professor titular na UDESC/ESAG atuando na área de Administração Financeira e Mercado de Capitais.

Profissional

Professor primário, secundário e universitário. Técnico em Desenvolvimento Econômico do Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE), especialista em projetos de financiamentos e investimentos, executivo fundador do antigo CEAG/SC, hoje, SEBRAE, Consultor de atividades  empresariais. Presidente da Associação Comercial e Industrial de Florianópolis – ACIF entre 13/05/2005 a 13/05/2009 (4 anos com reeleição) e presidente do Conselheiro do Conselho Superior 2009/2011. Conselheiro do Sapiens Park, Conselheiro do Conselho Municipal do Meio Ambiente, Conselheiro do Conselho Municipal do Saneamento Básico.

Pensamento Político

A história nos ensinou que o melhor caminho para as sociedades é o Liberalismo (Locke) representado por um  conjunto de princípios  baseados na defesa da propriedade privada, liberdade econômica (mercado livre),  liberdade política (vários partidos), liberdade religiosa, mínima participação do Estado na economia mas forte na aplicação da lei, igualdade dos cidadãos perante a lei, livre manifestação do pensamento e expressão.

Publicações

Inúmeros artigos publicados nos jornais de Florianópolis. Coordenou e escreveu os seguintes livros: Prefeitura Municipal de Florianópolis 2004; Novo Modelo Institucional Água e Saneamento, 2006, SC2010, projeto sobre Governo Estadual, 2007; Reforma Tributária Nacional 2008; PMF2012 Reforma Administrativa da Prefeitura Municipal de Florianópolis. Bacias Hidrográficas de Florianópolis, 2008.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *