RODOVIARIA DE FLORIANOPOLIS X AEROPORTO HERCILIO LUZ

 

Terminal Rodoviário Internacional de Itajaí - TERRI, moderno, limpo, sinalizado, disponibiliza os serviços de fraldário, agências bancárias, guarda volumes, carrinhos de transportar bagagem, segurança 24 horas, estacionamento. Avaliação positiva dos usuários.

Itajaí optou pela concessão privada – presta bons serviços aos usuários

Em 2003, passaram pela rodoviária de Florianópolis 2,8 milhões de passageiros enquanto no aeroporto Hercílio Luz, 1,3 milhão. Em 2011 o quadro se inverteu, passaram pelo aeroporto 2,99 milhões de passageiros e pela rodoviária, 2,89 milhões. Passam por dia (primeiro trimestre de 2012) 10.000 passageiros no aeroporto e 9,2 mil na rodoviária.

Esta brusca mudança se deve a alguns fatores – o primeiro deles, certamente, é o custo da passagem. As empresas de aviação perceberam que voar com metade da ocupação custava o mesmo com a aeronave lotada. Passaram a comercializar tarifas promocionais com prazos de até 10 meses. Foi um sucesso. As classes B e C que viajavam de ônibus imediatamente fizeram a migração.

De outro lado as Rodoviárias continuavam (e continuam) com modelos da década de 1970 quando o sistema foi adotado, um sistema superado, notadamente, na sua gestão.

Terminal Rita Maria, imponente, mas "bichado", 30 anos com baixa manutenção. Todos reclamam dos sofríveis serviços prestados. Em dias de chuva o usuário tem que se proteger das gotículas que pingam em diversos pontos. As queixas dos usuários são frequentes.

Nossa rodoviária, por exemplo, instalada no coração da cidade é um exemplo de incúria administrativa. Construída há mais de 30 anos, tem aspecto modorrento, infiltrações por todos os lados e nos dias de chuva, no seu interior, o passageiro tem que se proteger dos pingos de chuva.

Por toda Santa Catarina o sistema de gestão é público, ou seja, administrado pelo Estado ou Município. Itajaí fez sua opção pela concessão à iniciativa privada, não por outra razão a melhor rodoviária de Santa Catarina.

Enquanto os políticos continuarem a proteger “feudos empregatícios” quem paga a conta é o usuário. Tudo o que a iniciativa privada faz, faz melhor. Tudo o que é do Estado funciona mal – escolas, hospitais, penitenciárias, infraestrutura. Há necessidade de se avançar privatizar os serviços para um atendimento melhor.

Terminal Rodoviario do Tiete/SP, limpo e bem sinalizado, respeito ao usuário

 

Esta entrada foi publicada em Área Central, Mobilidade Urbana, Planejamento Urbano. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>