RODOVIARIA DE FLORIANOPOLIS X AEROPORTO HERCILIO LUZ

RODOVIARIA DE FLORIANOPOLIS X AEROPORTO HERCILIO LUZ

 

Terminal Rodoviário Internacional de Itajaí - TERRI, moderno, limpo, sinalizado, disponibiliza os serviços de fraldário, agências bancárias, guarda volumes, carrinhos de transportar bagagem, segurança 24 horas, estacionamento. Avaliação positiva dos usuários.

Itajaí optou pela concessão privada – presta bons serviços aos usuários

Em 2003, passaram pela rodoviária de Florianópolis 2,8 milhões de passageiros enquanto no aeroporto Hercílio Luz, 1,3 milhão. Em 2011 o quadro se inverteu, passaram pelo aeroporto 2,99 milhões de passageiros e pela rodoviária, 2,89 milhões. Passam por dia (primeiro trimestre de 2012) 10.000 passageiros no aeroporto e 9,2 mil na rodoviária.

Esta brusca mudança se deve a alguns fatores – o primeiro deles, certamente, é o custo da passagem. As empresas de aviação perceberam que voar com metade da ocupação custava o mesmo com a aeronave lotada. Passaram a comercializar tarifas promocionais com prazos de até 10 meses. Foi um sucesso. As classes B e C que viajavam de ônibus imediatamente fizeram a migração.

De outro lado as Rodoviárias continuavam (e continuam) com modelos da década de 1970 quando o sistema foi adotado, um sistema superado, notadamente, na sua gestão.

Terminal Rita Maria, imponente, mas "bichado", 30 anos com baixa manutenção. Todos reclamam dos sofríveis serviços prestados. Em dias de chuva o usuário tem que se proteger das gotículas que pingam em diversos pontos. As queixas dos usuários são frequentes.

Nossa rodoviária, por exemplo, instalada no coração da cidade é um exemplo de incúria administrativa. Construída há mais de 30 anos, tem aspecto modorrento, infiltrações por todos os lados e nos dias de chuva, no seu interior, o passageiro tem que se proteger dos pingos de chuva.

Por toda Santa Catarina o sistema de gestão é público, ou seja, administrado pelo Estado ou Município. Itajaí fez sua opção pela concessão à iniciativa privada, não por outra razão a melhor rodoviária de Santa Catarina.

Enquanto os políticos continuarem a proteger “feudos empregatícios” quem paga a conta é o usuário. Tudo o que a iniciativa privada faz, faz melhor. Tudo o que é do Estado funciona mal – escolas, hospitais, penitenciárias, infraestrutura. Há necessidade de se avançar privatizar os serviços para um atendimento melhor.

Terminal Rodoviario do Tiete/SP, limpo e bem sinalizado, respeito ao usuário

 


Dilvo Tirloni

Sou Administrador concluí meus estudos de ensino fundamental na cidade de Nova Trento. Os estudos de ensino Médio foram concluídos na cidade de Brusque, no Colégio São Luiz e Consul Carlos Renaux. Sou bacharel em  História pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). Simultaneamente, cursei Administração na Escola Superior de Administração e Gerência (ESAG). Nesta escola fui contemplado com medalha pelos méritos acadêmicos vindo, então, a ser convidado para cursar o Pós Graduação, nível de mestrado, na Fundação Getulio Vargas, em São Paulo. Concluído o curso de pós-graduação ingressei como professor titular na UDESC/ESAG atuando na área de Administração Financeira e Mercado de Capitais.

Profissional

Professor primário, secundário e universitário. Técnico em Desenvolvimento Econômico do Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE), especialista em projetos de financiamentos e investimentos, executivo fundador do antigo CEAG/SC, hoje, SEBRAE, Consultor de atividades  empresariais. Presidente da Associação Comercial e Industrial de Florianópolis – ACIF entre 13/05/2005 a 13/05/2009 (4 anos com reeleição) e presidente do Conselheiro do Conselho Superior 2009/2011. Conselheiro do Sapiens Park, Conselheiro do Conselho Municipal do Meio Ambiente, Conselheiro do Conselho Municipal do Saneamento Básico.

Pensamento Político

A história nos ensinou que o melhor caminho para as sociedades é o Liberalismo (Locke) representado por um  conjunto de princípios  baseados na defesa da propriedade privada, liberdade econômica (mercado livre),  liberdade política (vários partidos), liberdade religiosa, mínima participação do Estado na economia mas forte na aplicação da lei, igualdade dos cidadãos perante a lei, livre manifestação do pensamento e expressão.

Publicações

Inúmeros artigos publicados nos jornais de Florianópolis. Coordenou e escreveu os seguintes livros: Prefeitura Municipal de Florianópolis 2004; Novo Modelo Institucional Água e Saneamento, 2006, SC2010, projeto sobre Governo Estadual, 2007; Reforma Tributária Nacional 2008; PMF2012 Reforma Administrativa da Prefeitura Municipal de Florianópolis. Bacias Hidrográficas de Florianópolis, 2008.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *