SANEAMENTO 17 BACIAS REGISTRADAS 2 CONTINENTAIS

SANEAMENTO 17 BACIAS REGISTRADAS 2 CONTINENTAIS

Prezados amigos e amigas de Floripa

ETUDOS SOB MINHA COORDENAÇÃO identificou 17 bacias hidrográficas, 7 unidades consideradas grandes e 8 bacias menores localizadas no interior da Ilha. É um manancial extraordinário, desprezado, uma excelente reserva técnica para momentos difíceis. Quem mantém oferta de água são os mananciais subterrâneos de Ingleses, Lagoa do Peri, Cubatão (no Continente). Mesmo assim há limitações destas fontes. No futuro a água virá de Biguaçu ou Tijucas. Hoje a Região Metropolitana abriga 800 mil pessoas em 20 anos 1,5 milhão e em 30 anos 2 milhões.

 Só na Ilha já estamos próximos de 300 mil mas o número vai dobrar em menos de 20 anos. É preciso planejamento para remover os atuais passivos e impedir a ampliação da poluição a nossos rios e lagoas.

Só há uma maneira de se fazer isso – mais investimentos. O Plano Municipal de Saneamento prevê, para água e esgoto, até 2030, 1,5 bilhões ou seja 100 milhões por ano. A CASAN não tem esses dinheiro, nem o governo do Estado. Pior, a CASAN precisa atender mais 200 outros municípios. 48% de suas receitas tem origem em Floripa e São José. Quem sustenta a CASAN são estas duas cidades e os investimentos que deixam de ser feitos aqui vão para o interior.

 Deduz-se que Floripa e Região precisam ter a sua própria Cia. de Saneamento. Para você leitor saber nos últimos 11 anos foram “afanados” 250 milhões que foram aplicados nos mais diferentes recantos de SC.


Dilvo Tirloni

Sou Administrador concluí meus estudos de ensino fundamental na cidade de Nova Trento. Os estudos de ensino Médio foram concluídos na cidade de Brusque, no Colégio São Luiz e Consul Carlos Renaux. Sou bacharel em  História pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). Simultaneamente, cursei Administração na Escola Superior de Administração e Gerência (ESAG). Nesta escola fui contemplado com medalha pelos méritos acadêmicos vindo, então, a ser convidado para cursar o Pós Graduação, nível de mestrado, na Fundação Getulio Vargas, em São Paulo. Concluído o curso de pós-graduação ingressei como professor titular na UDESC/ESAG atuando na área de Administração Financeira e Mercado de Capitais.

Profissional

Professor primário, secundário e universitário. Técnico em Desenvolvimento Econômico do Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE), especialista em projetos de financiamentos e investimentos, executivo fundador do antigo CEAG/SC, hoje, SEBRAE, Consultor de atividades  empresariais. Presidente da Associação Comercial e Industrial de Florianópolis – ACIF entre 13/05/2005 a 13/05/2009 (4 anos com reeleição) e presidente do Conselheiro do Conselho Superior 2009/2011. Conselheiro do Sapiens Park, Conselheiro do Conselho Municipal do Meio Ambiente, Conselheiro do Conselho Municipal do Saneamento Básico.

Pensamento Político

A história nos ensinou que o melhor caminho para as sociedades é o Liberalismo (Locke) representado por um  conjunto de princípios  baseados na defesa da propriedade privada, liberdade econômica (mercado livre),  liberdade política (vários partidos), liberdade religiosa, mínima participação do Estado na economia mas forte na aplicação da lei, igualdade dos cidadãos perante a lei, livre manifestação do pensamento e expressão.

Publicações

Inúmeros artigos publicados nos jornais de Florianópolis. Coordenou e escreveu os seguintes livros: Prefeitura Municipal de Florianópolis 2004; Novo Modelo Institucional Água e Saneamento, 2006, SC2010, projeto sobre Governo Estadual, 2007; Reforma Tributária Nacional 2008; PMF2012 Reforma Administrativa da Prefeitura Municipal de Florianópolis. Bacias Hidrográficas de Florianópolis, 2008.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *