PRAIA SONEGADA A BEIRA MAR QUE SONHAMOS

PRAIA SONEGADA A BEIRA MAR QUE SONHAMOS

Amigos e amigas de Floripa

Há certos espaços em desuso com o passar do tempo que nem lembramos mais que eram desfrutados com prazer, com volúpia, como o desejo do primeiro beijo. A Praia de Fora, do Muller, ambas na Beira Mar Norte, por volta dos anos 70 eram disputadas pelos casais de namorados que meio às escondidas iam buscar o refúgio do amor, do relacionamento, da beijo casto e proibido.

Com a criação da Beira Mar os encantos praieiros foram pro espaço. A Beira Mar foi uma conquista extraordinária, o erro dos projetistas foi não ter considerado um aterro suplementar para abrigar uma faixa de praia que contemplasse equipamentos comunitários como quadra de esportes, estacionamentos, quiosques, entre outros.

Mas nem tudo esta perdido. É possível fazer o engordamento da praia da Beira Mar Norte. Há alguns percalços- um deles o projeto da Marina localizada justamente, no centro da Beira Mar. Marinas se localizam nos cantos das praias não no centro.  Podem se quiserem aproveitar a Ponta do Coral um ótimo local para estas finalidades. Podem se quiserem resgatar o belo projeto que também foi subtraído da população pelos “bárbaros” socialistas coadjuvados pelos liberais ignorantes.

Há outro entrave – a questão do péssimo esgotamento sanitário cujos serviços são prestados pela CASAN. Há poluição de cabo a rabo da avenida. Este problema segundo dizem não é difícil de resolver mas há necessidade de investimentos que a Estatal não tem. Anda mal das pernas.

Superados estes problemas viriam os investimentos necessários para o engordamento. Não sou especialista, consultando, todavia, outros empreendimentos desta natureza cheguei à conclusão que uma boa PPP poderia resolver o problema. A Empresa faz os investimentos e em troca ganha o direito de explorar alguns espaços como estacionamentos, quiosques e quadras esportivas.

Sonhar não custa nada.


Dilvo Tirloni

Sou Administrador concluí meus estudos de ensino fundamental na cidade de Nova Trento. Os estudos de ensino Médio foram concluídos na cidade de Brusque, no Colégio São Luiz e Consul Carlos Renaux. Sou bacharel em  História pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). Simultaneamente, cursei Administração na Escola Superior de Administração e Gerência (ESAG). Nesta escola fui contemplado com medalha pelos méritos acadêmicos vindo, então, a ser convidado para cursar o Pós Graduação, nível de mestrado, na Fundação Getulio Vargas, em São Paulo. Concluído o curso de pós-graduação ingressei como professor titular na UDESC/ESAG atuando na área de Administração Financeira e Mercado de Capitais.

Profissional

Professor primário, secundário e universitário. Técnico em Desenvolvimento Econômico do Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE), especialista em projetos de financiamentos e investimentos, executivo fundador do antigo CEAG/SC, hoje, SEBRAE, Consultor de atividades  empresariais. Presidente da Associação Comercial e Industrial de Florianópolis – ACIF entre 13/05/2005 a 13/05/2009 (4 anos com reeleição) e presidente do Conselheiro do Conselho Superior 2009/2011. Conselheiro do Sapiens Park, Conselheiro do Conselho Municipal do Meio Ambiente, Conselheiro do Conselho Municipal do Saneamento Básico.

Pensamento Político

A história nos ensinou que o melhor caminho para as sociedades é o Liberalismo (Locke) representado por um  conjunto de princípios  baseados na defesa da propriedade privada, liberdade econômica (mercado livre),  liberdade política (vários partidos), liberdade religiosa, mínima participação do Estado na economia mas forte na aplicação da lei, igualdade dos cidadãos perante a lei, livre manifestação do pensamento e expressão.

Publicações

Inúmeros artigos publicados nos jornais de Florianópolis. Coordenou e escreveu os seguintes livros: Prefeitura Municipal de Florianópolis 2004; Novo Modelo Institucional Água e Saneamento, 2006, SC2010, projeto sobre Governo Estadual, 2007; Reforma Tributária Nacional 2008; PMF2012 Reforma Administrativa da Prefeitura Municipal de Florianópolis. Bacias Hidrográficas de Florianópolis, 2008.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *