MOVIMENTO FLORIPA SUSTENTÁVEL – PMSB PROJEÇÕES DESPREZADAS

MOVIMENTO FLORIPA SUSTENTÁVEL – PMSB PROJEÇÕES DESPREZADAS

Amigos e amigas de Floripa

O Plano Municipal de Saneamento Básico (PMSB) começou a ser debatido em 2009 e neste ano foi firmado o contrato No 036/FMFB/2009, entre a Secretaria Municipal de Habitação e Saneamento Ambiental – SMHSA e a Empresa MPB Saneamento Ltda. cujos serviços abrangiam os projetos de água, esgoto, lixo e drenagens. Após as inúmeras reuniões foi aprovado no Conselho Municipal (fazia parte como representante da ACIF) e transformado na Lei Municipal 9400/2013.

O plano por sua vez atendia ao que determinava a lei federal 11.445/07 e lei municipal 7474/07. O município foi dividido em 28 UTPs (Unidades Territoriais de Planejamento) com investimentos previstos de 2,2 bilhões, valores de 2013 para atender até 1,2 milhões de pessoas.

 

Plano Municipal de Saneamento Básico de Florianópolis 2013-2030
INVESTIMENTO POR ANO

2015

2020 2030

Total

PROGRAMA DE GESTÃO

         32.423,00

         3.923,00          7.847,00

            44.193,00

PLANEJAMENTO AGUA

      266.954,00

       46.940,00        23.562,00

          337.456,00

PLANEJAMENTO ESGOTO

      342.438,00

     426.524,00     363.360,00

      1.132.322,00

AGUA E ESGOTO

      641.815,00

     477.387,00     394.769,00

      1.513.971,00

PLANEJAMENTO DRENAGENS

      177.300,00

       75.000,00     354.000,00

          606.300,00

PLANEJAMENTO LIXO URBANO

         77.478,00

       61.800,00          3.600,00

          142.878,00

TOTAL GERAL

      896.593,00

     614.187,00     752.369,00

      2.263.149,00

Plano Municipal do Saneamento – Fonte: Lei municipal  9.400/2013

Como o município optou por conceder os serviços à CASAN cabe à Estatal os projetos relacionados à água e esgotos, e a COMCAP os projetos relacionados ao lixo Urbano. Ambas as estatais não cumprem com o projetado e a cidade amarga um passivo ambiental crescente com nosso meio ambiente totalmente comprometido.

No segmento do lixo urbano objeto deste artigo, estão previstos 142 milhões para os próximos 15 anos, uma media de 9,5 milhões ano. Mas a COMCAP esta quebrada, insolvente, cheia de dívidas, prejuízos anuais de 60 milhões que somaram em fins de 2016 nada menos do que 281 milhões de reais.

Diante deste quadro de equívocos a tendência é de agravamento. A transformação da COMCAP em autarquia alardeada como solução não convence justamente porque suas despesas (que só aumentam) e receitas continuam as mesmas. A solução passa pelo estancamento dos enormes prejuízos, que pressupõe o fechamento da empresa.

Oremos para que uma luz divina caia na fronte das autoridades e reverta para o caminho da racionalidade.


Dilvo Tirloni

Sou Administrador concluí meus estudos de ensino fundamental na cidade de Nova Trento. Os estudos de ensino Médio foram concluídos na cidade de Brusque, no Colégio São Luiz e Consul Carlos Renaux. Sou bacharel em  História pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). Simultaneamente, cursei Administração na Escola Superior de Administração e Gerência (ESAG). Nesta escola fui contemplado com medalha pelos méritos acadêmicos vindo, então, a ser convidado para cursar o Pós Graduação, nível de mestrado, na Fundação Getulio Vargas, em São Paulo. Concluído o curso de pós-graduação ingressei como professor titular na UDESC/ESAG atuando na área de Administração Financeira e Mercado de Capitais.

Profissional

Professor primário, secundário e universitário. Técnico em Desenvolvimento Econômico do Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE), especialista em projetos de financiamentos e investimentos, executivo fundador do antigo CEAG/SC, hoje, SEBRAE, Consultor de atividades  empresariais. Presidente da Associação Comercial e Industrial de Florianópolis – ACIF entre 13/05/2005 a 13/05/2009 (4 anos com reeleição) e presidente do Conselheiro do Conselho Superior 2009/2011. Conselheiro do Sapiens Park, Conselheiro do Conselho Municipal do Meio Ambiente, Conselheiro do Conselho Municipal do Saneamento Básico.

Pensamento Político

A história nos ensinou que o melhor caminho para as sociedades é o Liberalismo (Locke) representado por um  conjunto de princípios  baseados na defesa da propriedade privada, liberdade econômica (mercado livre),  liberdade política (vários partidos), liberdade religiosa, mínima participação do Estado na economia mas forte na aplicação da lei, igualdade dos cidadãos perante a lei, livre manifestação do pensamento e expressão.

Publicações

Inúmeros artigos publicados nos jornais de Florianópolis. Coordenou e escreveu os seguintes livros: Prefeitura Municipal de Florianópolis 2004; Novo Modelo Institucional Água e Saneamento, 2006, SC2010, projeto sobre Governo Estadual, 2007; Reforma Tributária Nacional 2008; PMF2012 Reforma Administrativa da Prefeitura Municipal de Florianópolis. Bacias Hidrográficas de Florianópolis, 2008.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *