LIXO URBANO – ALTERNATIVAS DE DESCARTE

LIXO URBANO – ALTERNATIVAS DE DESCARTE

Dentre as várias alternativas que os municípios brasileiros, isoladamente ou em “consórcios públicos” se utilizam para descartar o lixo sobressaem:

Lixões

Em ambientes como este convivem toda sorte de bactérias que são transmitidas aos passaros, às pessoas que buscam algum tipo de compensação econômica além de poluir de forma dramática o Meio Ambiente. Em SC através de Termos de Ajustamentos de Conduta com o MP, todos os municípios baniram este tipo de destinação do lixo.

É o pior modelo a ser utilizado. Atualmente, caminham para a extinção. São espaços onde  todo o tipo de lixo é depositado no solo a céu aberto. Não sofre qualquer tipo de tratamento. Portanto o nível de contaminação do lençol freático, da atmosfera, dos animais e pessoas que freqüentam estes locais é enorme.

Aterro controlado

O Aterro Controlado é um tipo de lixão reformado, porém, inadequado do ponto de vista ambiental, já que contamina o solo natural. Este tipo de aterro não pratica medidas para combate à poluição, continua causando poluição do solo e do lençol freático. O aterro controlado também não trata integralmente o chorume e os gases que emanam da decomposição do lixo.

Aterro Sanitário

Este é o aterro de Tijuquinha, Biguaçu, que recepciona residuos sólidos dos municípios conurbados. Esta área imensa e bonita poderia ter uma destinação mais nobre para a sociedade. No futuro este tipo de destinação também será eliminado.

Este modelo é a melhor solução. A ABNT informa que “aterros sanitários de resíduos sólidos urbanos, consistem na técnica de sua disposição no solo, sem causar danos ou riscos à saúde pública e à segurança, minimizando os impactos ambientais, método este que utiliza os princípios de engenharia para confinar os resíduos sólidos ao menor volume permissível, cobrindo-os com uma camada de terra na conclusão de cada jornada de trabalho ou à intervalos menores se for necessário.”

Incineração

A Incineração consiste na queima do lixoem fornos e usinaspróprias. Com a incineração obtem-se uma redução de até 90% do volume inicial de resíduos. A queima se dá com temperaturas entre 800 a 3000 graus centigrados. Todos os incineradores operam com filtros para eliminar os gases tóxicos liberados. Os residuos desta incineração devem ser encaminhados a um aterro sanitário apropriado.

Compostagem

A compostagem é um processo biológico em que os microrganismos transformam a matéria orgânica, como estrume, folhas, papel e restos de comida, num material semelhante ao solo, a que se chama composto, e que pode ser utilizado como adubo. Tem muita ultilização no meio rural.

Usina de triagem e compostagem

As usinas de triagem e compostagem começaram a aparecer no Brasil por volta de 1970. São “plantas Industriais” que catam o material reciclável em esteiras e o material orgânico é encaminhado para locais dentro do processo de compostagem ou seja, transformam lixo em adubo que é vendido. Da mesma forma os materiais recicláveis vão para a indústria. Vale ressaltar a  importância de Usinas de Triagem tanto pelo lado econômico como pelo lado ambiental, notadamente, pela redução de amplos espaços para Aterros Sanitários. Mesmo onde ainda perduram os lixões uma usina evitaria de forma contundente a contaminação do meio ambiente.

Usinas de Tratamento Térmico de Resíduos Urbanos com Geração de Energia

A USINAVERDE S/A é uma empresa brasileira de capital privado criada em 2001, com a missão de oferecer aos Municípios brasileiros uma alternativa ambientalmente correta e economicamente viável para o equacionamento da gravíssima questão sócio-ambiental representada por lixões e aterros irregulares.

Trata-se de um novo modelo de tecnologia para processamento do lixo. Pode processar, por módulo industrial, até 150 toneladas de lixo por dia com  geração efetiva de 3,3 MWh de energia elétrica, sendo 2,8 MWh disponíveis para fornecimento externo.  A finalidade não é gerar energia e sim, dar um fim adequado ao lixo.

Coleta Seletiva

Embora não seja um modelo de destinação final do lixo a sua implantação permite ganhos substanciais no segmento. A coleta seletiva separa os materiais recicláveis – papéis, vidros, metais e orgânicos e o mercado de catadores se encarrega de encaminhar estes resíduos às indústrias para reciclagem.

Aos poucos a sociedade esta aderindo à coleta seletiva. Há muito espaço para crescer.


Dilvo Tirloni

Sou Administrador concluí meus estudos de ensino fundamental na cidade de Nova Trento. Os estudos de ensino Médio foram concluídos na cidade de Brusque, no Colégio São Luiz e Consul Carlos Renaux. Sou bacharel em  História pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). Simultaneamente, cursei Administração na Escola Superior de Administração e Gerência (ESAG). Nesta escola fui contemplado com medalha pelos méritos acadêmicos vindo, então, a ser convidado para cursar o Pós Graduação, nível de mestrado, na Fundação Getulio Vargas, em São Paulo. Concluído o curso de pós-graduação ingressei como professor titular na UDESC/ESAG atuando na área de Administração Financeira e Mercado de Capitais.

Profissional

Professor primário, secundário e universitário. Técnico em Desenvolvimento Econômico do Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE), especialista em projetos de financiamentos e investimentos, executivo fundador do antigo CEAG/SC, hoje, SEBRAE, Consultor de atividades  empresariais. Presidente da Associação Comercial e Industrial de Florianópolis – ACIF entre 13/05/2005 a 13/05/2009 (4 anos com reeleição) e presidente do Conselheiro do Conselho Superior 2009/2011. Conselheiro do Sapiens Park, Conselheiro do Conselho Municipal do Meio Ambiente, Conselheiro do Conselho Municipal do Saneamento Básico.

Pensamento Político

A história nos ensinou que o melhor caminho para as sociedades é o Liberalismo (Locke) representado por um  conjunto de princípios  baseados na defesa da propriedade privada, liberdade econômica (mercado livre),  liberdade política (vários partidos), liberdade religiosa, mínima participação do Estado na economia mas forte na aplicação da lei, igualdade dos cidadãos perante a lei, livre manifestação do pensamento e expressão.

Publicações

Inúmeros artigos publicados nos jornais de Florianópolis. Coordenou e escreveu os seguintes livros: Prefeitura Municipal de Florianópolis 2004; Novo Modelo Institucional Água e Saneamento, 2006, SC2010, projeto sobre Governo Estadual, 2007; Reforma Tributária Nacional 2008; PMF2012 Reforma Administrativa da Prefeitura Municipal de Florianópolis. Bacias Hidrográficas de Florianópolis, 2008.

3 COMMENTS
  • Aécio Flávio Perim
    Responder

    O Brasil e o mundo precisam de gente que se dediquem à preservação do meio ambiente como forma de garantir às gerações futuras qualidade de vida e direito aos recursos naturais para atender suas necessidades básicas. Muito bom trabalho. Junto-me a todos aqueles que têm a natureza como um bem coletivo.

  • Diego
    Responder

    Eu trabalho com uma desentupidora no meu dia a dia e é impressionante a quantidade de lixo sólido encontrado em ralos. Parabéns pelo artigo!

    1. Dilvo Tirloni
      Responder

      Obrigado por ler o Blog. Sua leitura é minha motivação.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *