FLORIPA O DESCALABRO AMBIENTAL

FLORIPA O DESCALABRO AMBIENTAL

Amigos e amigas de Floripa

Neste inicio de 2018 mais uma vez a cidade exibe de forma musculosa a sua incompetência com o meio ambiente. As reclamações vem de toda parte, a FATMA, órgão oficial do Governo relata números alarmantes, todos os quadrantes da Ilha tem problemas de poluição.

A CASAN e a Prefeitura cujos dirigentes são do mesmo partido, conspiram contra a cidade. Anunciam ações por toda a parte mas a realidade é justamente o contrário. Anunciaram a despoluição da Beira Mar Norte, mas a Bacia do Rio Capivari nos Ingleses esta poluída; a bacia do Rio Ratones, do Rio Itacorubi, do Rio Tavares, entre outras acusam níveis 2 de oxigenação, significando que nem mais os peixes podem sobreviver.

A culpa é sempre do cidadão, do contribuinte, do usuário. “É que a população não tem educação, não se liga na Rede”. Há aqui uma forma ardilosa de fugir das responsabilidades. Cabe a CASAN fazer os investimentos e a Vigilancia Sanitária ou FLORAM fazer a fiscalização destas iniquidades.

Durante o inverno em vários  momentos a ESTATAL no gabinente do Prefeito anunciou o fim dos problemas. Seria um verão limpo e com água em abundância. As promessas não resistiram à primeira semana.

Vale ressaltar que há tecnologia provada e comprovada nos melhores países do mundo para por fim aos passivos ambientais. A única exigência são recursos para os Investimentos. Floripa precisa de 1,5 bilhões que nem a CASAN nem a Prefeitura dispõe.

A única solução é rescindir o contrato e efetuar um nova licitação de âmbito internacional. Imediatamente os financiamentos vão aparecer e em menos de 8 anos nossa cidade e região estarão livres destas incúrias administrativas.

Para alcançar este objetivo deverá haver a convergência dos poderes públicos e convencimento da população.

Guardadas as proporções é o que esta acontecendo com o Aeroporto Hercilio Luz. Com a entrada dos suíços tudo vai mudar, entraremos no mundo desenvolvido. Com o saneamento Básico deveria ser a mesma coisa.

 


Dilvo Tirloni

Sou Administrador concluí meus estudos de ensino fundamental na cidade de Nova Trento. Os estudos de ensino Médio foram concluídos na cidade de Brusque, no Colégio São Luiz e Consul Carlos Renaux. Sou bacharel em  História pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). Simultaneamente, cursei Administração na Escola Superior de Administração e Gerência (ESAG). Nesta escola fui contemplado com medalha pelos méritos acadêmicos vindo, então, a ser convidado para cursar o Pós Graduação, nível de mestrado, na Fundação Getulio Vargas, em São Paulo. Concluído o curso de pós-graduação ingressei como professor titular na UDESC/ESAG atuando na área de Administração Financeira e Mercado de Capitais.

Profissional

Professor primário, secundário e universitário. Técnico em Desenvolvimento Econômico do Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE), especialista em projetos de financiamentos e investimentos, executivo fundador do antigo CEAG/SC, hoje, SEBRAE, Consultor de atividades  empresariais. Presidente da Associação Comercial e Industrial de Florianópolis – ACIF entre 13/05/2005 a 13/05/2009 (4 anos com reeleição) e presidente do Conselheiro do Conselho Superior 2009/2011. Conselheiro do Sapiens Park, Conselheiro do Conselho Municipal do Meio Ambiente, Conselheiro do Conselho Municipal do Saneamento Básico.

Pensamento Político

A história nos ensinou que o melhor caminho para as sociedades é o Liberalismo (Locke) representado por um  conjunto de princípios  baseados na defesa da propriedade privada, liberdade econômica (mercado livre),  liberdade política (vários partidos), liberdade religiosa, mínima participação do Estado na economia mas forte na aplicação da lei, igualdade dos cidadãos perante a lei, livre manifestação do pensamento e expressão.

Publicações

Inúmeros artigos publicados nos jornais de Florianópolis. Coordenou e escreveu os seguintes livros: Prefeitura Municipal de Florianópolis 2004; Novo Modelo Institucional Água e Saneamento, 2006, SC2010, projeto sobre Governo Estadual, 2007; Reforma Tributária Nacional 2008; PMF2012 Reforma Administrativa da Prefeitura Municipal de Florianópolis. Bacias Hidrográficas de Florianópolis, 2008.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *