TURISMO EM SINGAPURA E MENTALIDADE CARIJO EM FLORIPA

TURISMO EM SINGAPURA E MENTALIDADE CARIJO EM FLORIPA

Amigos e amigas de Floripa

719km2 de puro desenvolvimento, 6 milhões de habitantes, Renda per capita de 82 mil dolares, rica e feliz.
716 km2 de puro desenvolvimento, 6 milhões de habitantes, Renda per capita de 82 mil dolares, rica e feliz.

Singapura é uma cidade-estado, conta com 63 ilhas, Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) de 0,925, um dos mais elevados do mundo, seu território é de 716 km2, altamente urbanizado, metade coberto por vegetação, e, neste momento, estão fazendo um aterramento marítimo para abrigar mais pessoas. Sua população estimada é de 6 milhões de pessoas e seus dirigentes pretendem alcançar 10 milhões em breve. Sua renda per capita é espantosa, mais de 80 mil dólares por habitante. Tudo funciona, os transportes, a proteção ao meio ambiente, não há poluição nas ilhas que compõe o território. Há prédios de 40, 50 andares e não se tem notícia de que o povo esta indignado por isso, ao contrário, anda feliz, há empregos, renda, lazer. Ontem, domingo, 17/9 realizou-se por lá a corrida da formula 1. Ao contrário de Floripa todos apoiaram a iniciativa, o turismo bombou, a renda aumentou, impostos e empregos.

Nossa querida Floripa também é formada de diversas ilhas cujo território base é de 675km2, (41 km2 menor do que Singapura atual). Lá cabem 6 milhões, densidade de 8.345 pessoas por km2, aqui 480.000, densidade de 711 por km2 11,7 vezes menos.

Nos debates sobre o Plano Diretor muitos “sábios” que sequer sabem da existência de Singapura afirmaram que não é mais aceitável recepcionar moradores na Ilha, atingimos o topo, desse jeito tudo vai parar e o que é pior, a Ilha vai afundar. Estas teses falsas e oportunistas encontram receptividade principalmente, junto dos socialistas de plantão. Com projetos tão avançados estamos inviabilizando a cidade.

Voce caro leitor(a) pode não acreditar mas foi proibido  construir, pelo interior da Ilha, edifícios com mais de dois andares e sem pilotis e ático. Os argumentos sempre fajutos eram e são de que não temos saneamento básico e mobilidade urbana.

De se perguntar aos cingapurianos o que eles acham das nossas restrições. Vão dar gargalhadas e seguramente, achar que ainda não passamos da mentalidade “carijós”  da nação tupi-guarani. (Com todo respeito aos índios)


Dilvo Tirloni

Sou Administrador concluí meus estudos de ensino fundamental na cidade de Nova Trento. Os estudos de ensino Médio foram concluídos na cidade de Brusque, no Colégio São Luiz e Consul Carlos Renaux. Sou bacharel em  História pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). Simultaneamente, cursei Administração na Escola Superior de Administração e Gerência (ESAG). Nesta escola fui contemplado com medalha pelos méritos acadêmicos vindo, então, a ser convidado para cursar o Pós Graduação, nível de mestrado, na Fundação Getulio Vargas, em São Paulo. Concluído o curso de pós-graduação ingressei como professor titular na UDESC/ESAG atuando na área de Administração Financeira e Mercado de Capitais.

Profissional

Professor primário, secundário e universitário. Técnico em Desenvolvimento Econômico do Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE), especialista em projetos de financiamentos e investimentos, executivo fundador do antigo CEAG/SC, hoje, SEBRAE, Consultor de atividades  empresariais. Presidente da Associação Comercial e Industrial de Florianópolis – ACIF entre 13/05/2005 a 13/05/2009 (4 anos com reeleição) e presidente do Conselheiro do Conselho Superior 2009/2011. Conselheiro do Sapiens Park, Conselheiro do Conselho Municipal do Meio Ambiente, Conselheiro do Conselho Municipal do Saneamento Básico.

Pensamento Político

A história nos ensinou que o melhor caminho para as sociedades é o Liberalismo (Locke) representado por um  conjunto de princípios  baseados na defesa da propriedade privada, liberdade econômica (mercado livre),  liberdade política (vários partidos), liberdade religiosa, mínima participação do Estado na economia mas forte na aplicação da lei, igualdade dos cidadãos perante a lei, livre manifestação do pensamento e expressão.

Publicações

Inúmeros artigos publicados nos jornais de Florianópolis. Coordenou e escreveu os seguintes livros: Prefeitura Municipal de Florianópolis 2004; Novo Modelo Institucional Água e Saneamento, 2006, SC2010, projeto sobre Governo Estadual, 2007; Reforma Tributária Nacional 2008; PMF2012 Reforma Administrativa da Prefeitura Municipal de Florianópolis. Bacias Hidrográficas de Florianópolis, 2008.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *