MENSAGEM AO MINISTRO VINICIUS LUMMERTZ

MENSAGEM AO MINISTRO VINICIUS LUMMERTZ

Amigos e amigas de Floripa

O Ministro Lummertz, não é um político qualquer, além de ser de SC, tem qualidades indiscutíveis: economista de estofo internacional, faz seus discursos , via de regra, em frances ou Ingles conforme as regras do protocolo. Tem pós-graduação em Universidades francesas e americanas, conhece o lado privado da economia, já foi presidente da Associação Comercial e Industrial de Floripa, Presidente da Embratur,  candidato a prefeito da cidade, amigo de todos, e uma visão de futuro excepcional, adiante do seu tempo. Com musculosa biografia, ocupe a função que ocupar, será sempre bem sucedido.

Ontem (13/4)  me perguntaram “o que o Vinicius que é daqui, pode fazer pela cidade, afinal ele é agora o Ministro do Turismo”.

As reações via de regra comportam respostas simples, ainda que objetivas, mas todas equivocadas. Pensam apenas em recursos.  Ministro do Turismo é uma função permanente, tem caráter nacional, (são 27 Estados e 5.570 municípios), por limitações orçamentárias terá que fazer escolhas. Não deve ser fácil o seu dia a dia.

Como amigo e companheiro do associativismo me sinto na obrigação de encaminhar algumas observações que talvez possam ajuda-lo nestes próximos 8 meses. E minhas considerações são fruto de leitura sobretudo, de um Fórum sobre Turismo que participei no Costão do Santinho que nunca esqueci. Fora isso minha formação de ADM empurra também para consagrar a gestão como algo “cientifico” e embora não conheça o Ministério, é provável que não disponha de “Manuais” para operar o segmento no plano nacional.

Em maio de 2009 realizou-se no Costão a reunião do Conselho Mundial de Viagem e Turismo (WTTC) e à época seu presidente o francês Jean-Claude Baumgarten citou Dubai como exemplo de atrativos naturais. Lá o Governo elegeu o planejamento de longo prazo e investimentos em infraestrutura como meta de atração turística. A infraestrutura é considerada por Baumgarten como um dos três principais desafios da indústria de turismo – os outros dois são preocupação ambiental e mão-de-obra qualificada. “Se a cidade é boa para o morador, será boa para o visitante” arrematou.

A par de intervenções pontuais para atender algum interesse especifico a grande obra que o Vinicius poderá realizar é deixar um “MANUAL DAS BOAS PRATICAS TURISTICAS” com base nas recomendações do WTTC e distribui-lo nas milhares de cidades, universidades, câmaras de vereadores, nas bibliotecas.

A primeira ação concreta é construir um “organograma” que abranja os municípios e os Estados Brasileiros de comum acordo com o que se passa no Ministério do Turismo, ou seja, os organogramas deveriam dialogar entre si, deveriam ter foco permanente posto que as atividades nunca mudam, se adaptam. Esta Secretaria Municipal compreenderia 4 Departamentos – Promoção e Comercialização; Estrutura Turística; Formação de Mão de Obra e Departamento de apoio Institucional.

A segunda ação (mas que estaria dentro do Depto. de apoios) é disponibilizar através da Rede Privada e Pública de bancos, fontes de financiamentos para os projetos de investimentos. É possível agregar bancos internacionais, agências de fomento, entre outros. O Ministério adotará a linha liberal de emprestar colaboração técnica sem entretanto, ingressar com recursos públicos.

A terceira ação que independe do Ministério de Turismo mas fundamental na atração de turistas é a infraestrutura das cidades, particularmente, o saneamento básico, a mobilidade urbana e segurança. De alguma maneira, os grandes investimentos relacionados ao turismo se atrelam à infraestrutura e o Ministério poderia ter protocolos claros de como fazer nestes casos.

Um bom manual de Turismo evidenciado estes aspectos creio que seria uma ferramenta adequada e um grande legado do nosso ministro.

____________________________________

UM PROJETO ESPECIFICO PARA FLORIPA DESTACO

PROJETO DIAS VELHO (PAÇO MUNICIPAL +TRANSPORTE MARITIMO)

VER AINDA OUTROS TEXTOS CLICANDO NA ÁREA DE BUSCA “PAÇO MUNICIPAL”  E “TURISMO”


Dilvo Tirloni

Sou Administrador concluí meus estudos de ensino fundamental na cidade de Nova Trento. Os estudos de ensino Médio foram concluídos na cidade de Brusque, no Colégio São Luiz e Consul Carlos Renaux. Sou bacharel em  História pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). Simultaneamente, cursei Administração na Escola Superior de Administração e Gerência (ESAG). Nesta escola fui contemplado com medalha pelos méritos acadêmicos vindo, então, a ser convidado para cursar o Pós Graduação, nível de mestrado, na Fundação Getulio Vargas, em São Paulo. Concluído o curso de pós-graduação ingressei como professor titular na UDESC/ESAG atuando na área de Administração Financeira e Mercado de Capitais.

Profissional

Professor primário, secundário e universitário. Técnico em Desenvolvimento Econômico do Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE), especialista em projetos de financiamentos e investimentos, executivo fundador do antigo CEAG/SC, hoje, SEBRAE, Consultor de atividades  empresariais. Presidente da Associação Comercial e Industrial de Florianópolis – ACIF entre 13/05/2005 a 13/05/2009 (4 anos com reeleição) e presidente do Conselheiro do Conselho Superior 2009/2011. Conselheiro do Sapiens Park, Conselheiro do Conselho Municipal do Meio Ambiente, Conselheiro do Conselho Municipal do Saneamento Básico.

Pensamento Político

A história nos ensinou que o melhor caminho para as sociedades é o Liberalismo (Locke) representado por um  conjunto de princípios  baseados na defesa da propriedade privada, liberdade econômica (mercado livre),  liberdade política (vários partidos), liberdade religiosa, mínima participação do Estado na economia mas forte na aplicação da lei, igualdade dos cidadãos perante a lei, livre manifestação do pensamento e expressão.

Publicações

Inúmeros artigos publicados nos jornais de Florianópolis. Coordenou e escreveu os seguintes livros: Prefeitura Municipal de Florianópolis 2004; Novo Modelo Institucional Água e Saneamento, 2006, SC2010, projeto sobre Governo Estadual, 2007; Reforma Tributária Nacional 2008; PMF2012 Reforma Administrativa da Prefeitura Municipal de Florianópolis. Bacias Hidrográficas de Florianópolis, 2008.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *