POPULAÇÃO QUER PRAIA NA BEIRA MAR

POPULAÇÃO QUER PRAIA NA BEIRA MAR

Amigos e amigas de Floripa

Não é de hoje que muitos lutam para ter uma praia na Beira Mar. O Ex-Governador Amim, na década de 80 prometeu que ao final do seu mandato iria tomar banho por lá. Não deu. Como projeto de largo interesse social, de ponta, continua na cabeça de todos nós. Os mais velhos lembram saudosamente da Praia do Muller, da Praia de Fora, onde os casais em finais de tarde iam se encontrar para um beijo pra lá de caliente. Fora  as gostosas reminiscências o fato é que é,  o único local no Centro da Cidade apropriado para uma extensa praia.

Ô Tirloni, praia para os ricos? Esta é uma bobagem que já ouvi, a praia iria servir para os magnatas da Beira Mar. Sucede que praia é o lugar mais democrático que se conhece – ricos e pobres despidos de suas marcas de grife, ficam todos iguais. Negros, brancos, amarelos, gordos ou magros a praia nos coloca todos no mesmo patamar. É uma forma barata de oferecer lazer a todos especialmente aos pobres.

Há projetos para engordamento de praia, há bancos de areia compatíveis a menos de 500 metros, bastaria uma boa PPP (parceria publico privada) com troca de interesses, e apareceria um imensa praia com 60 metros de largura, apinhada de equipamentos comunitários, estacionamentos para milhares de veículos, rampas de acesso ao mar, quadras esportivas, kioskes, capela ecumênica, bares, restaurantes.

De repente fechados em salas refrigeradas, um grupo de interessados, ofereceu um projeto denominado de “Parque Urbano e Marina na Beira Mar Norte cuja foto encanta a todos num primeiro momento, mas esconde a inviabilização da Praia. Marinas são estacionamentos imensos de barcos e como tal constroem um conjunto de impedimentos que impossibilitam o uso pela população da praia.

Podemos ter o melhor dos dois mundos, o Parque Urbano e a Marina, desde que localizados numa das pontas da Beira Norte – proximidades da  Ponta do Coral ou proximidades da ponte HL. O meio seria reservado para as pessoas desfrutarem das delícias do mar. Vale ressaltar que os vários hotéis que se localizam na região sairiam beneficiados pela praia, não pela Marina.

Segundo os autores  do Projeto Parque Urbano já efetuou os seguintes estudos:Diagnóstico Ambiental Simplificado, Estudo de Territorialidade, Estudo de Impacto Simplificado e Aspectos Legais, Estudo Preliminar Arquitetônico e Urbanístico e Estudo de Viabilidade Econômico-Financeiro. Sugiro outro estudo “aprovação junto da população”.  Perguntar se a população prefere a Marina onde foi projetada ou numa das pontas da Baia reservando o miolo para praias.

Para concluir acrescento que ninguém é mais ardoroso defensor de marinas do que eu, mas temos que fazer a coisa certa. Estamos de olho.

 


Dilvo Tirloni

Sou Administrador concluí meus estudos de ensino fundamental na cidade de Nova Trento. Os estudos de ensino Médio foram concluídos na cidade de Brusque, no Colégio São Luiz e Consul Carlos Renaux. Sou bacharel em  História pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). Simultaneamente, cursei Administração na Escola Superior de Administração e Gerência (ESAG). Nesta escola fui contemplado com medalha pelos méritos acadêmicos vindo, então, a ser convidado para cursar o Pós Graduação, nível de mestrado, na Fundação Getulio Vargas, em São Paulo. Concluído o curso de pós-graduação ingressei como professor titular na UDESC/ESAG atuando na área de Administração Financeira e Mercado de Capitais.

Profissional

Professor primário, secundário e universitário. Técnico em Desenvolvimento Econômico do Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE), especialista em projetos de financiamentos e investimentos, executivo fundador do antigo CEAG/SC, hoje, SEBRAE, Consultor de atividades  empresariais. Presidente da Associação Comercial e Industrial de Florianópolis – ACIF entre 13/05/2005 a 13/05/2009 (4 anos com reeleição) e presidente do Conselheiro do Conselho Superior 2009/2011. Conselheiro do Sapiens Park, Conselheiro do Conselho Municipal do Meio Ambiente, Conselheiro do Conselho Municipal do Saneamento Básico.

Pensamento Político

A história nos ensinou que o melhor caminho para as sociedades é o Liberalismo (Locke) representado por um  conjunto de princípios  baseados na defesa da propriedade privada, liberdade econômica (mercado livre),  liberdade política (vários partidos), liberdade religiosa, mínima participação do Estado na economia mas forte na aplicação da lei, igualdade dos cidadãos perante a lei, livre manifestação do pensamento e expressão.

Publicações

Inúmeros artigos publicados nos jornais de Florianópolis. Coordenou e escreveu os seguintes livros: Prefeitura Municipal de Florianópolis 2004; Novo Modelo Institucional Água e Saneamento, 2006, SC2010, projeto sobre Governo Estadual, 2007; Reforma Tributária Nacional 2008; PMF2012 Reforma Administrativa da Prefeitura Municipal de Florianópolis. Bacias Hidrográficas de Florianópolis, 2008.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *