COMCAP ESTANCAR OS PREJUÍZOS

COMCAP ESTANCAR OS PREJUÍZOS

Amigos e amigas de Floripa

Há pouco tempo a COMCAP publicou o seu relatório sobre 2016. Nas finanças foi um furação devastador, todos os valores são superlativos,  produziu um prejuízo de 60 milhões (prejuízo é igual a Receitas menos as Despesas) que somados aos anteriores acumulam a inacreditável soma de 280 milhões. Deve ao Fundo de Previdência dos Empregados 40 milhões e de obrigações trabalhistas e previdenciárias, 140 milhões. Há ainda a possibilidade de “passivos ocultos” dívidas que não estão registradas. Tudo somado, o Patrimônio negativo da empresa é de 250 milhões.Trata-se portanto de uma Empresa quebrada.

Recolheu 200 mil toneladas de resíduos o mesmo que será recolhido em 2017. O Orçamento de 2017 é de 256 milhões, portanto cada tonelada de lixo recolhida, (custou) custará o equivalente a R$1.280. No Brasil a média por tonelada não passa de R$100, 13 vezes menos. Vale registrar que a TCRS vai arrecadar algo em torno de 56 milhões líquidos, o restante, 200 milhões cabe à Prefeitura desembolsá-los, dinheiro que é tirado das creches e saúde.

O quadro de Empregados gira em torno de 1.700 que consomem 100% das receitas o que dá uma média por empregado de R$12.500,00 ou 150 mil por ano.

Cabe destacar que não cabe mais privatizar a Empresa e sim seus serviços. Ninguém vai querer assumir um “trambolho financeiro” com tantos problemas.

Só há uma única decisão a ser tomada e exige urgência – estancar os prejuízos fechando a empresa. Os trabalhadores seriam absorvidos pela Prefeitura, uma parte pela nova empresa dos serviços licitados e uma terceira, seria indenizada. O modelo a ser adotado seria o mesmo que foi adotado na VARIG – o lado podre ficaria com o Governo e os bens de valor passariam para a nova empresa, que os compraria.

Insistir com a COMCAP é uma decisão que afronta o artigo 37 da Constituição e dezenas de outras leis inclusive a lei de Responsabilidade Fiscal.


Dilvo Tirloni

Sou Administrador concluí meus estudos de ensino fundamental na cidade de Nova Trento. Os estudos de ensino Médio foram concluídos na cidade de Brusque, no Colégio São Luiz e Consul Carlos Renaux. Sou bacharel em  História pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). Simultaneamente, cursei Administração na Escola Superior de Administração e Gerência (ESAG). Nesta escola fui contemplado com medalha pelos méritos acadêmicos vindo, então, a ser convidado para cursar o Pós Graduação, nível de mestrado, na Fundação Getulio Vargas, em São Paulo. Concluído o curso de pós-graduação ingressei como professor titular na UDESC/ESAG atuando na área de Administração Financeira e Mercado de Capitais.

Profissional

Professor primário, secundário e universitário. Técnico em Desenvolvimento Econômico do Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE), especialista em projetos de financiamentos e investimentos, executivo fundador do antigo CEAG/SC, hoje, SEBRAE, Consultor de atividades  empresariais. Presidente da Associação Comercial e Industrial de Florianópolis – ACIF entre 13/05/2005 a 13/05/2009 (4 anos com reeleição) e presidente do Conselheiro do Conselho Superior 2009/2011. Conselheiro do Sapiens Park, Conselheiro do Conselho Municipal do Meio Ambiente, Conselheiro do Conselho Municipal do Saneamento Básico.

Pensamento Político

A história nos ensinou que o melhor caminho para as sociedades é o Liberalismo (Locke) representado por um  conjunto de princípios  baseados na defesa da propriedade privada, liberdade econômica (mercado livre),  liberdade política (vários partidos), liberdade religiosa, mínima participação do Estado na economia mas forte na aplicação da lei, igualdade dos cidadãos perante a lei, livre manifestação do pensamento e expressão.

Publicações

Inúmeros artigos publicados nos jornais de Florianópolis. Coordenou e escreveu os seguintes livros: Prefeitura Municipal de Florianópolis 2004; Novo Modelo Institucional Água e Saneamento, 2006, SC2010, projeto sobre Governo Estadual, 2007; Reforma Tributária Nacional 2008; PMF2012 Reforma Administrativa da Prefeitura Municipal de Florianópolis. Bacias Hidrográficas de Florianópolis, 2008.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *